eTudo Habitação Casa Verde e Amarela: entenda as novas regras em vigor no programa

Casa Verde e Amarela: entenda as novas regras em vigor no programa

Casa Verde e Amarela: entenda as novas regras em vigor no programa

Foram implementadas novas regras para o programa Casa Verde e Amarela pela Caixa Econômica Federal. O programa, que entrou em cena para substituir o Minha Casa, Minha Vida, agora traz como benefícios a redução dos juros e também o aumento no teto para o valor dos imóveis que são classificados como habitação popular.

Publicidade

E essas novas regras começaram a valor a partir do mês de novembro para todo o país.

Como o Casa Verde e Amarela Funciona?

O programa Casa Verde e Amarela é um substituto do programa habitacional do governo anterior, o Minha Casa, Minha Vida.

Com a entrada do novo programa vieram também mais benefícios nas condições de parcelamento e no valor disponibilizado para a aquisição de imóveis. A exemplo disso há a ampliação do teto em 10 e 15%.

Mas outro motivo para a repaginação do programa foi o objetivo de promover a modernização no setor da construção civil. Com mais pessoas tendo acesso a moradia, então as construtoras terão mais demanda e podem trazer inovação nas construções.

O programa contempla as famílias brasileiras com renda que vai até R$ 7 mil por mês. E, ainda, as família são organizadas segundo a renda mensal, com condições que variam segundo isso. Com as novas regras, essa classificação é ainda mais essencial.

Imóveis novos ou usados podem ser financiados pelo programa, assim como a aquisição de materiais para construção ou reforma (isso em áreas urbanas).

No que tange as melhorias no imóvel, o programa Casa Verde e Amarela prevê a reforma como construção de telhados, instalações hidráulicas, colocação de pisos, instalações elétricas, acabamentos, entre outras.

O programa já contribuiu para muitas pessoas conseguirem ter moradia digna, tanto agora quanto em sua formatação anterior.

Aumento no teto para o valor destinado ao financiamento das moradias pelo programa

Segundo as Resoluções CCFGTS 1.008/2021 e 1.009/2021, quais foram publicadas no dia 15 de setembro deste ano, agora o teto dos valores destinados as moradias recebeu aumento que varia entre 10 a 15%. Logo, e segundo o recorte territorial, os valores variaram entre R$ 135 mil a R$ 264 mil.

Em cidades com 50 a 100 mil habitantes, por exemplo, os valores referentes ao aumento ficaram;

– De R$ 145 mil agora o teto foi para R$ 166,75 mil em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo;

– O valor para o financiamento liberado subiu de R$ 140 mil para R$ 161 no Sul e nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo;

– O teto foi de R$ 135 mil para R$ 155,25 mil para o Centro-Oeste;

– E enquanto isso, ele foi de R$ 135 mil para R$ 155,2 mil para o Norte e o Nordeste.

Para as capitais que foram definidas pelo IBGE como metrópoles o teto foi de R$ 240 mil para R$ 264 mil no caso de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. E foi de R$ 215 mil para R$ 236 mil para Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Nas demais capitais estaduais classificadas como metrópoles ele foi de R$ 190 mil para R$ 209 mil.

Enquanto isso, em outras capitais estaduais com população acima de 250 mil habitantes (ou igual a isso) ou onde haja mais de 100 mil habitantes e que localizem-se nas regiões metropolitanas de Campinas, na Baixada Santista e Regiões Integradas de Desenvolvimento de Capital, haverá aumento de 10%.

Sobre a taxa de juros para o financiamento de imóveis pelo programa Casa Verde e Amarela

Já sobre a taxa de juros, as famílias que possuem uma renda mensal de até R$ 2 mil poderão financiar uma casa com a mesma taxa de juros, sendo de:

– 4,25% ao ano para quem reside nas regiões Norte e Nordeste para quem é cotista do FGTS e 4,75% para quem não é;

– Já nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste a taxa será de 4,5% ao ano para quem é cotista e 5% para os não cotistas do FGTS.

Essas famílias com renda de até R$ 2 mil por mês classificam-se como a Faixa 2 do programa Casa Verde e Amarela.

E há ainda como novidade o “Programa de Parcerias”. Esse programa será de grande ajuda para muitas famílias que querem financiar um imóvel, porém não dispõem do valor para a entrada (sendo 20% do valor do imóvel, algo inviável para muitas delas).

Nesse caso, os municípios ajudariam com o valor necessário para a entrada do financiamento.

Com o Programa de Parcerias poderia acontecer até mesmo de se zerar o valor de entrada.

Alteração na taxa de operações para essa faixa

E além de todas essas novidades, há redução também para as famílias que possuem renda de R$ 4.000,01 e R$ 7 mil por mês. Para essas famílias a taxa de operações será reduzida em 0,5 ponto percentual, ficando em 7,66% até o dia 31 de dezembro de 2022.

O presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, relatou que essas novas condições para financiar uma casa pelo programa Casa Verde e Amarela irão beneficiar as famílias mais necessitadas, ajudando-as a realizarem o sonho de ter a casa própria.

Como já estão em vigor as novas regras, então a contratação do financiamento habitacional do governo pode ser feita já com esses benefícios. Para realizar a contratação basta entrar em contato com a Caixa ou se dirigir até um Correspondente Caixa Aqui ou, ainda, pelo aplicativo Habitação Caixa.

Quais famílias podem financiar um imóvel pelo programa?

As famílias são classificadas segundo a renda, existindo para isso as chamadas “Faixas”. Assim, fica:

– Famílias que recebem até R$ 2 mil por mês estão na Faixa 1,5;

– Famílias que recebem entre R$ 2 mil até R$ 4 mil por mês já ficam na Faixa 2

– E também as que recebem de R$ 4 mil a R$ 7 mil por mês, essas ficam na Faixa 3.

Como cada faixa possui condições econômicas distintas, então cada uma delas possui acesso a subsídios e condições de parcelamentos diferenciados. E isso fora mostrado nas novas regras do programa.

Publicidade

Comentários através do Facebook